O que é o programa Resposta da Demanda?

O que é o programa Resposta da Demanda?

O programa Resposta da Demanda refere-se a mecanismos para gerenciar o consumo dos clientes em resposta às condições de oferta das fontes energéticas do Sistema Interligado Nacional (SIN).

O abastecimento elétrico brasileiro, garantido pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) por meio de despachos de fontes energéticas, segue o Programa Mensal de Operações (PMO) e em casos pontuais realiza despachos para garantir a estabilidade e confiabilidade do SIN em momentos de criticidade de consumo.

No programa Resposta da Demanda há a promoção da redução do consumo em momentos críticos de abastecimento do SIN. O resultado direto é a redução da frequência de despachos fora da ordem de mérito e consequente diminuição do custo da energia elétrica consumida.

A Resposta da Demanda também é capaz também de adiar investimentos com novas fontes de geração e investimentos em infraestrutura de transmissão e de distribuição de energia elétrica no país.

O programa de Resposta da Demanda é baseado em incentivos para redução do consumo nos momentos críticos do sistema, quando a oferta de energia estiver escassa ou quando houver queda da confiabilidade do SIN.

Nesse programa o ONS avalia a melhor alternativa entre despachar uma nova fonte geradora de energia ou requerer a redução de carga de consumidores credenciados.

Programa Piloto de Resposta da Demanda

No Programa Piloto de Resposta da Demanda da Agencia Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), estabelecido pela REN 792/2017, a adesão foi definida como voluntária e os consumidores deveriam ser classificados como Livres e estar localizados nos submercados NE ou N.

A ONS ficou responsável por definir a grade horária para despacho de redução da demanda e acolher as ofertas de consumidores interessados. A participação é feita por meio de ofertas de produtos com durações e volumes variados, definidos na REN 792/2017.

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) ficou responsável pela apuração dos resultados. Já a remuneração seria valorada ao sistema de oferta da ONS e ao PLD vigente em cada hora de redução.

O programa previu análises semestrais dos resultados para validação do mesmo e implantação do mecanismo no SIN. No entanto teve baixíssima adesão e sofreu consecutivas prorrogações do período de testes.

A ANEEL, entendendo os benefícios que o programa trará para o Brasil, aprovou no final de 2020 alterações no Programa Piloto de Resposta da Demanda. Na decisão, o programa foi estendido para os consumidores localizados em todos os submercados do SIN.

A iniciativa pretende ampliar o número de consumidores dentro do período de testes. Com novos consumidores a ANEEL espera produzir relatórios e análises capazes de subsidiar decisões regulatórias futuras. A ANEEL espera compreender de maneira assertiva o comportamento dos consumidores e os ganhos com a redução de custos operacionais promovidos pelo programa.

Como o Setor Elétrico pode se beneficiar?

Conheça 6 razões pelas quais a ANEEL insiste com Programa Piloto de Resposta da Demanda no SIN:

  • Maior flexibilidade e confiabilidade, principalmente com a maior inserção dos recursos energéticos distribuídos;
  • Menor emissão de gases de efeito estufa devido ao não acionamento de usinas térmicas a diesel e óleo combustível para atendimento da demanda máxima;
  • Diminuição dos custos de geração, pois com a diminuição da demanda no horário de ponta, térmicas caras serão menos despachadas;
  • Postergar/evitar a construção de novas unidades de geração, transmissão e distribuição, pois com a diminuição da demanda máxima devido a estes programas, os investimentos podem não ser necessários;
  • Redução do poder de mercado de geradores de energia por meio de retenção de capacidade de produção pela flexibilidade no consumo alcançada pela resposta da demanda;
  • Diminuição da volatilidade de preços com a consequente redução de riscos financeiros para agentes do mercado (geradores, comercializadores e consumidores).

Porque esse programa é importante?

Como vimos, o programa tem como objetivo possibilitar a redução dos custos de atendimento ao sistema elétrico nacional, promovendo credibilidade e modicidade tarifária aos consumidores finais.

Grandes consumidores podem utilizar o programa como estratégia competitiva, reduzindo o custo com a energia elétrica, reduzindo a necessidade de investimentos de infraestrutura para atender o crescimento de sua produção.

Esse consumidor pode considerar o PLD Horário em sua estratégia e ofertar produtos com durações e volumes de acordo com a seu planejamento de produção e considerando as necessidades operativas do ONS. Dessa forma, pode ganhar nas duas pontas, consumindo energia em horários com PLD horário menor e sendo remunerado com a redução de consumo despachada nos momentos de criticidade do SIN.

Quer entender mais sobre o programa? Entre em contato conosco e descubra quais oportunidades cercam esse tema.



Right Menu Icon