Baterias e geração híbrida mitigando intermitência

Anunciada em 2014, a BYD implementou sua fábrica de baterias em Manaus e sinalizou ao mercado de acordo com seu Gerente de Vendas no Brasil, Gustavo Tegon, que está funcionando em fase de pré-operação e que até o final do ano haverá o escalonamento gradual para o pleno desempenho do empreendimento durante o painel sobre tendências e novas tecnologias em energia solar no Energy Solutions Show.

Além da empresa, vemos sinais da entrada de outros grupos chineses no mercado brasileiro, para fornecer soluções com base em baterias à indústria automobilística, setor industrial, agropecuário e de mineração. As soluções em bateria experienciadas no mundo apontam para a evolução e redução dos custos do MW armazenado em baterias de grande porte. No entanto, essas tecnologias só serão possíveis se os projetos microgrids forem bem desenvolvidos e desenhados.

No setor elétrico temos observado a incorporação de tecnologias de Geração Híbrida, como por exemplo a produção de hidrogênio com a energia intermitente gerada em fontes renováveis por meio da eletrólise da água. O hidrogênio torna-se então uma reserva combustível acessível para suprimento da necessidade energética nos momentos de menor eficiência dos sistemas de geração. Como exemplo, citamos os projetos desenvolvidos pela empresa alemã Thyssenkrupp Industrial Solutions, que apresenta em seu portfólio, a possibilidade de integrar a tecnologia de eletrólise com plantas eólicas ou fotovoltaicas.

Estamos caminhando para a melhoria no suprimento energético das gerações de energia de fontes intermitentes. Em alguns casos para a análise da viabilidade de ligar uma carga off-grid em comparação com custos de expansão de linhas de distribuição para atendimento de solicitações de acesso à rede base do sistema elétrico.

Fontes: G1, Canal Energia