Abraceel prepara selo de melhores práticas para redução de riscos

A Associação Brasileira de Comercializadoras de Energia pretende criar uma espécie de selo de melhores práticas de comercialização, de maneira a reduzir os riscos nas operações.

Segundo Alexandre Lopes, diretor técnico da Abraceel, a proposta está baseada em quatro pilares. O primeiro seria a criação de uma métrica de risco clara para que todos os agentes possam aferi-lo; o segundo seria a obrigação dos players entregarem determinadas informações para segurança do mercado;  o terceiro é a criação de entidade de supervisão responsável por receber os dados dos players, aplicar as métricas definidas e verificar se os agentes estão dentro dos limites estabelecidos e o quarto a elaboração de uma governança de melhores práticas para aprimoramento de propostas no longo prazo.

A proposta terá como indicadores de monitoramento o limite máximo de exposição em que o valor semanal de exposição de um player não pode ultrapassar um limite definido em função da sua capacidade financeira; a capacidade econômica, em que o comercializador deverá ter condição financeira para suportar seus compromissos acertados no prazo de 24 meses, além da concentração de risco, sem poder concentrar todo o seu limite de risco em um mês de fornecimento.

“O mercado teria a informação que aquele player passa por dificuldade e cada um poderia ir conversar com ele para resolver melhor a situação”, ressalta.

O objetivo do sistema seria suficiente para impedir que a quebra das comercializadoras Vega e Linkx voltem a ocorrer. Embora alegue que não há como afirmar que se o selo estivesse em vigor os problemas não teriam acontecido, ele aposta na adoção das práticas para o futuro.

(Fonte: Canal Energia)



Right Menu Icon